Áudio Notícia: a diferença das gerações no mercado de trabalho

Central de Jornalismo
Mercado de trabalho e as gerações

Quatro gerações com metas e objetivos diferentes se encontram no mercado de trabalho. A primeira é composta de pessoas que nasceram entre 1945 e 1964. O especialista em recursos humanos Elcio Paulo Teixeira, explica as características delas. Com os baby boomers, aprendemos sobre estabilidade e sobre a importância de poupar, ter segurança, ter a casa própria, o carro. São pessoas que saíram de uma guerra e que trazem uma preocupação em se estabelecer.

Para adolescentes, gestora e consultora de RH, uma belle rock, a geração seguinte é a X, que engloba os nascidos entre 1960 e 1980. É vista pelos recrutadores como mais leal às empresas. E são profissionais inseridos no mercado de trabalho que têm mais lealdade à empresa. Eles têm uma permanência maior na mesma empresa, têm uma comunicação mais direta e são pessoas que têm uma busca, uma estabilidade maior.

Já a Geração Y são as pessoas que nasceram entre 1980 A1990. Eles buscam mais flexibilidade no trabalho. Eles valorizam mais esse equilíbrio das atividades. Eles são mais conectados tecnologicamente e já estão mais ansiosos também em relação às mudanças na carreira. Eles buscam o crescimento de maneira mais ágil. Os nascidos entre 1990 e 2010 são os da geração Z.

- Continua após a publicidade -
CURSO DE EMPREENDEDORISMO - PAULO BRAGA JORNALISTA

São uma geração que busca um propósito maior. Eles buscam se desafiar. São multitarefas e têm essa característica realmente de ter uma atitude mais empreendedora dentro do mercado de trabalho. Na avaliação de Hélcio Teixeira, essa geração é mais impaciente, o que não é um problema de má formação e sim social, já que cada geração é adaptada ao momento em que vive.

Esses jovens, eles foram super expostos, por exemplo, a tecnologia. Eles passaram por uma pandemia e isso tudo molda o comportamento deles. Então é bem importante falar que o nosso cérebro, ele finaliza a formação da parte racional aos 25 anos. São jovens que ainda estão passando por um processo de criar os seus mapas mentais, de criar as suas melhores metodologias de sobrevivência.

E aí eles lidam e aprendem diante das situações que eles vivenciam e são expostos a gerações. Possuem comportamentos diferentes no mercado de trabalho. Mas segundo uma belle rock, para que possam trabalhar melhor juntas, os gestores precisam compreender essas diferenças e valorizar as características de cada uma. Todas as gerações trazem comportamentos que podem ser usados de maneira positiva no mercado de trabalho.

Propor esse ambiente inclusivo que trabalhe com as gerações de maneira diferente e trabalhar também uma boa comunicação. Esse sentimento de colaboração em equipe, independente da geração que você venha. Existe ali um propósito dentro da organização que precisa acontecer. Então, o ideal é trabalhar essa colaboração no próximo capítulo você vai entender melhor a influência da pandemia na geração mais jovem no mercado de trabalho.

Tv Tudo Em Dia


Compartilhe este artigo